VOCÊ CONHECE OU JÁ OUVIU FALAR EM CONSTELAÇÃO FAMILIAR SISTÊMICA?

A Constelação Familiar Sistêmica objetiva a reorganização do sistema familiar, isto é, olhar os excluídos e esquecidos, ordenar a hierarquia, reverenciar os antepassados que contribuíram para que nascêssemos e assim ter a oportunidade de evoluir.

A técnica  terapêutica desenvolvida pelo o alemão Bert Hellinger; conhecida em outros países como Reorganização Familiar, afirma que tudo o que somos,  recebemos de nossos ancestrais, pois herdamos e repassaremos por meio da genética familiar. 


Os mais velhos sempre pensaram que eles sabem o que é bom para os mais novos, fazem isso porque nos amam,  só que ao tornarmo-nos adultos fazemos o que queremos e nem sempre é o mesmo que nosso pais, avós, tataravós, etc... desejaram assim desenvolvemos internamente o chamado conflito de interesses que muitas vezes se transformam em conflitos íntimos.


As consequências são as doenças, os relacionamentos conflituosos, desemprego, falta de dinheiro, depressão, dores pelo corpo, insônia, obesidade, etc.


 O processo terapêutico Constelação Familiar Sistêmica vem  Iluminar  esses sentimentos  para desencadear um processo de cura, de solução.


Na maioria das vezes resolve-se a questão problema em um único atendimento que reverbera aos descendentes, os resultados e os insights começam a surgir até  mesmo no dia. Quando o cliente tem definido o problema com objetividade, a consteladora consegue conduzir de forma mais assertiva. 


Em tempos de pandemia e isolamento social constelar seus medos, seus problemas e doenças é de extrema importância. O autoconhecimento é a chave para viver bem, aceitar o que é seu e devolver o que não é, tudo com amor e respeito.

Extraordinariamente a Constelação Familiar Sistêmica nos proporciona por meio de sua técnica, olhar com amor para tudo que dói e incomoda.


Alice Albuquerque, é Pós-graduada em Arteterapia, Política Social e Gestão Institucional e Constelação Familiar Sistêmica.




CONVERSAÇÃO

0 comentários :

Postar um comentário

Voltar
ao topo